FALE CONOSCO
49 99122.9001
Central de Atendimento
(49) 3304 4757 . sac@nutrir-sc.com.br
Postado em 05 de Agosto de 2016 às 10h54

DEFICIÊNCIAS NUTRICIONAIS NA DOENÇA CELÍACA

SAÚDE (56)
  • Nutrir Nutrição Enteral e Suplementação -

A doença celíaca (DC), enfermidade imunomediada e permanente ao glúten, é caracterizada por inflamação crônica da mucosa e submucosa do intestino delgado, ocasionando atrofia total ou subtotal das vilosidades intestinais e, consequentemente, má absorção de nutrientes.

Níveis reduzidos de vitaminas e minerais são comuns na DC, todavia, mesmo em tratamento, pacientes com DC são suscetíveis a desenvolver deficiências nutricionais. Tal condição pode estar relacionada às alterações nas vilosidades e à perda de proteínas e enzimas da borda em escova necessárias para a absorção de nutrientes. Entre os nutrientes associados às deficiências em pacientes com DC não tratados, destacam-se as vitaminas do complexo B, D, E e os minerais cálcio, zinco, ferro e magnésio.

Níveis reduzidos de ácido fólico, em conjunto com B12, podem causar anemia macrocítica. Pois essas vitaminas desempenham importantes funções metabólicas e neurotróficas. A causa da deficiência de vitamina B12 ainda não está totalmente elucidada, porém sugere-se que essa diminuição pode ocorrer devido à disfunção do intestino delgado distal, diminuição da acidez gástrica, subcrescimento bacteriano, gastrite autoimune ou diminuição da eficiência do fator intrínseco.

A deficiência de zinco pode causar lesões na pele, tornar as unhas fracas e quebradiças, aumentar o risco para infecção, bem como comprometer a capacidade tampão oxidante do mineral. Ademais, na deficiência crônica, também, podem ser observados distúrbios neurológicos, tais como letargia ou alterações na percepção de sabores.

Por sua vez, Níveis reduzidos de vitamina D e cálcio podem comprometer de forma relevante a saúde óssea, de modo que a redução da densidade mineral óssea é relatada por até 70% dos pacientes, e ela pode levar, em longo prazo, ao desenvolvimento da osteoporose.

Já a deficiência prolongada de vitamina E tem sido relacionada com ataxia e neuropatias periféricas, particularmente, em adultos com DC.

Em suma, vale destacar a importância do acompanhamento multidisciplinar, uma vez que as deficiências nutricionais decorrentes da má absorção dos nutrientes devem ser diagnosticadas e tratadas visando à recuperação e prevenção de doenças. Outrossim, na maioria dos pacientes, o controle dietético com a remoção total do glúten da dieta conduz à recuperação histológica e normalização dos níveis séricos de vitaminas e minerais.

Fonte: Revista Nutri on-line.com

Encontre em nossa loja online Sustevit, um alimento nutricionalmente completo, enriquecido com frutooligossacarídeos e sem glúten, através do link http://www.nutrir-sc.com.br/_loja_/p/11592/sustevit-

Veja também

Quimioterapia: Cuidados que você deve ter com a Alimentação01/06/17 Mais da metade das pessoas com câncer sofre de má nutrição ou desnutrição, devido ao catabolismo inerente à doença e também pela fadiga, redução do apetite, afetando a ingestão de nutrientes. Se o indivíduo com câncer não se alimentar bem, o processo de recuperação pode ser atrasado. Uma......
INTOLERÂNCIA A LACTOSE, E AGORA?05/10/19 É estimado que 75% dos indivíduos ao redor do mundo apresentam hipolactasia ou alguma redução da atividade da lactase, especialmente durante a fase adulta.  A lactose é um dissacarídeo......

Voltar para BLOG