FALE CONOSCO
49 99122.9001
Central de Atendimento
(49) 3304 4757 . sac@nutrir-sc.com.br
Postado em 19 de Abril de 2018 às 13h12

CÂNCER DE ESÔFAGO: O QUE VOCÊ PRECISA SABER PARA EVITAR A DESNUTRIÇÃO

SAÚDE (62)
Nutrir Nutrição Enteral e Suplementação O câncer de esôfago é uma neoplasia de alta letalidade, isso significa que o número de morte por este tipo de câncer se aproxima do número de casos novos. Isto se...

O câncer de esôfago é uma neoplasia de alta letalidade, isso significa que o número de morte por este tipo de câncer se aproxima do número de casos novos. Isto se deve por esta ser uma doença de rápida disseminação, e na maioria das vezes, descoberta em fases bem avançadas da doença.

Esta neoplasia apresenta a particularidade de interferir diretamente na adequada alimentação do indivíduo portador da doença, pois, um dos seus principais sintomas é a disfagiaConforme o avanço da doença, este sintoma vai ficando mais evidente, impedindo a passagem de alimentos sólidos, levando a um declínio da alimentação do indivíduo, necessitando optar por uma alimentação mais macia, refeições liquidificadas ou até restringir-se ao consumo de líquidos apenas. 

Além de o sintoma afetar diretamente no estado nutricional, vale ressaltar que o câncer propriamente provoca alterações no organismo, as alterações metabólicas causadas pela inflamação e o catabolismo decorrente da neoplasia contribuem para a desnutrição proteico-calórica. 

Em virtude disso, a intervenção para a garantia de um aporte nutricional adequado e a prevenção da desnutrição neste paciente deve ser realizada precocemente, para que, ao chegar no momento do tratamento, seja ele cirúrgico ou clínico (quimioterapia e/ou radioterapia), o portador da doença possa estar preparado fisiológica e nutricionalmente.

Desta forma, a inclusão de suplementos nutricionais hipercalóricos e hiperproteicos precocemente se fazem necessários e ainda, nos casos em que o paciente deverá passar por um tratamento cirúrgico, a nutrição imunomoduladora deve ser iniciada de 7 a 14 dias antes da cirurgia, trazendo os mais diversos benefícios ao organismo.

Estas intervenções, - que devem ser realizadas por um profissional nutricionista -, conduzirão ao paciente uma boa tolerância aos tratamentos oncológicos que a ele serão propostos e, consequentemente, propiciarão qualidade de vida.

LETICIA CARLESSO
Nutricionista CRN² 13477
Especialista em Gestão e Atenção Hospitalar no Sistema Público de Saúde com Ênfase em Hemato-Oncologia (HUSM/UFSM)
Mestre em Ciências da Saúde (UFSM)

Conheça a Nossa Linha de Produtos para Oncologia!

Veja também

NOVAS EVIDÊNCIAS EM FÓRMULAS PARA ALERGIA AO LEITE DE VACA28/11/17 Nas últimas décadas, houve um aumento epidêmico de doenças alérgicas. A alergia ao leite de vaca (ALV) é uma condição comum em crianças, com incidência em torno de 2 a 7,5% do primeiro ano de vida. Define-se ALV como uma reação imunológica às proteínas encontradas no leite de vaca. Caseína e......
INTOLERÂNCIA A LACTOSE, E AGORA?05/10/19 É estimado que 75% dos indivíduos ao redor do mundo apresentam hipolactasia ou alguma redução da atividade da lactase, especialmente durante a fase adulta.  A lactose é um dissacarídeo......

Voltar para BLOG